Textos/Texts‎ > ‎

Uma carta para a minha filha: ser professor

Querida Lucinda, 

Ainda não percebeste, mas o papá é professor. Começou há muitos anos, quando eu voltava da escola primária e ensinava à tia Telma as coisas que tinha aprendido. Quando ela entrou para a escola, já sabia as letras, os números e algumas operações simples. Nós tínhamos um quadro pequeno e giz, e para orgulho da avó, montávamos uma escolinha lá em casa. Tive muitos exemplos de bons professores, com quem já não tenho mais contato, mas que carrego comigo. A professora Eunice, que me ensinou biologia na escola secundária, tinha um cuidado na preparação das aulas que admiro até hoje.

Preciso que saibas que ser professor fez de mim um pai melhor, e ser pai fez de mim um professor melhor. Nasci para ensinar, e sei que isso tem afetado muito o tempo que passamos juntos e as coisas que fazemos e não podemos fazer. Da mesma forma que te amo, vejo em cada um dos meus alunos um filho ou uma filha que tem um pai e uma mãe lá em casa que os ama e também quer o melhor para eles. É por isso que passo as tardes de sábado a corrigir e os domingos a planear, quando podia estar contigo, quando poderíamos jogar com o Figo e a Pimenta no jardim, e em vez disso, olho com tristeza para ti a brincar sozinha na sala.

Vais encontrar muitos professores que te vão ensinar a aprender, que te vão abrir as portas para muitos mundos, para que possas escolher; e ter escolhas é ser livre. Escrevo-te porque vivemos num mundo que não é generoso para com os professores, que é muitas vezes hostil para com aqueles que trabalham pela plena realização do potencial humano que tu e outras crianças carregam. Precisas saber que os professores não são simples ditadores de regras, eles lutam para que estejas num espaço acolhedor e desafiador; e lembra-te que o teu trabalho de casa vai estar na mesa de jantar da sala deles. Os teus professores vão-se preocupar tanto contigo quanto eu, eles vão ter noites mal dormidas a pensar como ensinar-te o material em que tens dificuldades, da mesma forma que eu não durmo quando não te sentes bem.

É importante também que saibas que os teus professores não sabem tudo, mas sabem como descobrir qualquer coisa, e que a sala de aulas é um lugar de possibilidades e que não tentar não é uma opção. Eles vão cruzar o teu caminho para te ajudar a descobrir o que é ser o melhor que podes ser, como ver o potencial dos outros, e para te mostrar como ser gentil com todos. Tenta, falha, e volta a tentar, sempre. Os teus professores poderiam ter escolhido qualquer outro trabalho, mas escolheram estar contigo e vão estar ao teu lado para te guiar, por isso, não pares, tenta.

Neste mês lembramos dos nossos professores, mas eu quero que te lembres sempre e por toda a vida.

Dá-me um abraço,

Pai
Comments