Vocabulário de Metodologia de Línguas Estrangeiras e Aquisição de Segunda Língua

Siglas importantes:

PLN Português Língua Nativa
PLM Português Língua Materna
PLH ou POLH Português Língua de Herança
PSL ou P2L Português como Segunda Língua
PL2 Português Língua Segunda
PL2E Português como Segunda Língua para Estrangeiros
PSLS Português como Segunda Língua para Surdos
PBSL Português Brasileiro como Segunda Língua
PTL Português como Terceira Língua
PLE Português Língua Estrangeira
PLNM Português Língua Não Materna
PFOL Português para Falantes de Outras Línguas
PLA Português Língua Adicional
PBLA Português Brasileiro como Língua Adicional
PPP Português Para as Profissões
PFE Português para Fins Específicos
PLAc Português Língua de Acolhimento
PLV 1, 2 e 3 Português Língua Viva
PFE Português para Fins Específicos
PI Português Instrumental
PBE Português Brasileiro para Estrangeiros

A
Abordagem comunicativa é uma metodologia que se baseia no princípio de que o aprendizado de uma língua estrangeira acontece com sucesso quando os alunos têm que comunicar um significado real. Quando os alunos estão envolvidos em situações de comunicação real, utilizam as suas estratégias naturais de aquisição de outra língua, o que lhes permite aprender a usar o idioma.

ACTFL Conselho Americano de Ensino de Línguas Estrangeiras (EUA)

Advanced Placement (AP) é um programa patrocinado pelo College Board. O programa AP oferece aos alunos a oportunidade de fazer cursos de nível universitário numa escola secundária; passar o exame do curso pode dar créditos universitários ou entrada em cursos mais avançados. Os cursos AP seguem diretrizes elaboradas e publicadas pelo College Board.

Aula centrada no aluno é uma aula em que um professor trabalha com alunos para desenvolver, implementar e avaliar metas de aprendizagem com base nos interesses e necessidades específicos aos alunos. Desta forma, os alunos têm uma voz não só no que aprendem, mas também no por que, quando, como e com quem eles aprendem. Numa sala de aula centrada no aluno, o professor facilita ao invés de ensinar, permitindo aos alunos mais oportunidades de colaborar com colegas na língua-alvo.

Avaliação de desempenho. Durante uma avaliação de desempenho, os alunos demonstram a sua capacidade de usar a língua-alvo em atividades do mundo real, ou seja, coisas que os falantes nativos podem fazer. Por exemplo, os alunos podem criar um jornal, responder a um anúncio ou realizar uma entrevista para aprender sobre um tópico cultural. Os professores podem avaliar o desempenho usando uma rubrica e/ou atribuir notas tradicionais.

Avaliação formal implica que todos os alunos de uma classe são avaliados da mesma maneira. O exame envolve o mesmo conteúdo, formato (por exemplo, teste de capítulo ou relatório oral) e condições de teste (por exemplo, tempo de duração). Os resultados são relatados como um grau ou uma pontuação e são usados para determinar as habilidades individuais dos alunos numa área específica da aprendizagem.

Avaliação formativa refere-se a uma grande variedade de métodos que os professores usam para avaliar a compreensão dos alunos, as necessidades de aprendizagem e o progresso académico durante uma lição, unidade ou curso. As avaliações formativas ajudam os professores a identificar conceitos que os alunos estão a ter dificuldade em entender, habilidades que eles estão a ter dificuldade em adquirir ou os padrões de aprendizado que ainda não conseguiram; isto para fazer os ajustes necessários às lições, às técnicas de instrução e aos recusos académicos disponibilizados. O objetivo geral da avaliação formativa é coletar informações detalhadas que podem ser usadas para melhorar a instrução e a aprendizagem dos alunos. O que faz uma avaliação formativa não é o design de um teste, técnica ou avaliação, mas a forma como é usada - ou seja, para informar as modificações ao ensino e aprendizado em progresso.

Avaliação informal significa que o professor avalia o progresso dos alunos enquanto participam de uma atividade de aprendizagem, por exemplo, uma discussão em pequenos grupos. Os resultados normalmente são usados para tomar decisões sobre o que fazer em seguida, ou seja, se os alunos estão prontos para seguir em frente ou se eles precisam de mais prática com o material.

Avaliações somativa é usada para avaliar a aprendizagem do aluno, a aquisição de habilidades e o desempenho académico na conclusão de um período de instrução definido - tipicamente no final de um projeto, unidade, curso, semestre, programa ou ano escolar. De um modo geral, as avaliações sumativas são definidas por três critérios principais: testes/exames, atividades ou projetos. Estes são usados para determinar se os alunos aprenderam o que eles deveriam ter aprendido. Por outras palavras, o que faz uma avaliação somativa não é a conceção de teste, atividade ou projeto, mas a forma como é usado - ou seja, para determinar até que ponto os alunos aprenderam o material. As avaliações somáticas são dadas na conclusão de um período de instrução específico e, portanto, geralmente são avaliações, em vez de diagnóstico, ou seja, são utilizados para determinar o progresso da aprendizagem e avaliar a eficácia dos programas educacionais.

B


C

Colocação Avançada veja Advanced Placement (AP) 

Contagem de histórias de resposta física total (CHRFT) é uma adaptação da RFT e acrescenta elementos da contagem de histórias e das narrativas ou estruturas episódicas para construir uma compreensão significativa. A técnica começa com o professor a contar uma história e usando ações e gestos para introduzir vocabulário novo. À medida que os alunos ouvem a história, eles confirmam a sua compreensão repetindo as ações: Primeiro, realizam as ações para eventos específicos e então recriam toda a história. Uma vez que a história é compreendida, os alunos assumem a tarefa narrativa, seja em grupo ou individualmente. Veja também Resposta Física Total (RFT).

D

Design invertido veja Planeamento invertido.

Diagrama de Venn é um tipo de organizador gráfico composto por dois círculos parcialmente sobrepostos. O diagrama Venn ajuda os alunos a ver as semelhanças e diferenças entre dois tópicos. Cada círculo representa um tópico (por exemplo, "EUA" e "Cultura alvo"). As características comuns são registradas na área de sobreposição entre os círculos. As informações exclusivas para cada tópico são registradas na área fora da sobreposição. O diagrama de Venn é um forte suporte visual para comparações concretas e abstratas.
visual depiction of Venn diagram


Dialeto é uma forma de língua usada entre pessoas que vivem na mesma área geográfica ou que compartilham a mesma identidade social. Enquanto a instrução de línguas tradicionalmente enfatiza a forma "padrão" de uma língua, para comunicar de forma linguística e culturalmente mais eficaz, a instrução também deve incorporar elementos de dialetos no currículo para refletir as formas reais/autênticas com que as pessoas comunicam no dia a dia.

Dramatização é uma atividade na qual os alunos dramatizam personagens ou fingem estar em novos locais ou situações. Esta atividade desafia os alunos, fazendo com que eles usem a língua-alvo em novos contextos.

E

Espiralar 
é o processo de ensinar um tema ou uma regra da língua a alunos de níveis diferentes criando tarefas múltiplas cada vez mais complexas. Por exemplo, uma lição sobre o clima pode ser espiralada da seguinte maneira: (1) os alunos novatos podem descrever o clima em frases curtas; (2) os alunos intermediários podem falar sobre o clima e os seus efeitos sobre as suas atividades, ou coletar informações da TV, rádio ou jornais; e (3) os alunos avançados podem contar uma história sobre um evento assustador relacionado ao clima ou ler uma descrição do tempo num texto literário.

F
Falante de herança é um estudante de uma comunidade migrante que está exposto a um idioma diferente em casa daquele dominante na sociedade. Os falantes de herança podem ser categorizados com base na proeminência e no desenvolvimento da língua de herança na vida cotidiana do aluno. Alguns alunos têm plena fluidez oral e alfabetização na língua de herança; outros podem ter fluência oral completa, mas a alfabetização escrita não desenvolvida porque foram educados na língua dominante. Outro grupo de alunos - tipicamente de terceira ou quarta geração - pode falar de forma limitada, mas não se pode expressar em uma ampla gama de tópicos. Os alunos em qualquer destas categorias também podem ter lacunas no conhecimento sobre a sua herança cultural. Os professores que têm falantes da herança na aula devem avaliar quais habilidades precisam de ser mantidas e quais precisam de ser desenvolvidas. Veja também falante nativo.

Falante nativo de uma língua é o que considera a língua-alvo a sua primeira língua. Os professores de linguas procuram oportunidades para que os seus alunos se comuniquem diretamente com este falantes, tanto através de tecnologia quanto pessoalmente. Os estudantes em aulas de uma língua estrangeira que são imigrantes de primeira (e às vezes de segunda geração) e que usam a língua extensivamente fora da sala de aula também são considerados falantes nativos. Esses alunos geralmente mantêm as normas culturais de sua herança em determinadas situações. Veja também falante de herança.

Filtro afetivo. A hipótese do filtro afetivo (Dulay, Krashen e Burt, 1982) descreve a necessidade do ensino/aprendizado de uma segunda língua se realizar num ambiente de baixa ansiedade, para incentivar o processamento e a aprendizagem de novas informações.
Dulay, Heidi, Stephen D. Krashen e Mariana Burt. Second Two. Oxford, Inglaterra: Oxford University Press, 1982.

Fossilização refere-se ao fenômeno linguístico em que os alunos internalizam formas "incorretas" ou "não padronizadas" da língua, na medida em que se tornam os seus hábitos de fala e não são facilmente corrigidos.

G

Gap de informação veja Lacuna de informação.

H


I

Interpretação de papéis veja Dramatização.

J

Jogos didáticos são jogos projetados para ajudar os alunos a aprender sobre certos assuntos, expandir conceitos, reforçar o desenvolvimento da compreensão, entender um evento histórico ou cultura, ou ajudá-los a aprender uma habilidade enquanto jogam.

K


L

Lacuna de informação é uma técnica de questionamento na qual os alunos respondem a uma pergunta cuja resposta é desconhecida para o questionador. Isso contrasta com "perguntas de demonstração" que buscam respostas óbvias. Exemplo de uma questão de lacuna de informação: o que comprou no shopping? Exemplo de uma pergunta de demonstração: de que cor é sua t-shirt?

Língua Materna, também chamada de Língua Nativa e de Primeira Línguaé a língua a que uma pessoa é exposta desde nascença, ou seja, dentro do período crítico, e em que forma a consciência de um "eu". 

Língua nativa veja Língua Materna.

M
Mapa da história é um gráfico organizador que leva os alunos a descobrir elementos específicos a partir de um texto escrito ou oral. É construído com base em elementos comuns, como personagens e características, lugar, trama, resolução e moral ou lição, ou num formato "quem, o que, quando, onde, como e por quê". Exempo da representação visual do mapa de história:

Personagens >>> Lugar (onde e quando) >>> Conflito/Problema >>> Evento #1/Evento #2/Evento #3 >>> Resolução

Materiais autênticos são recursos que foram desenvolvidos especificamente por falantes nativos e para falantes nativos. Estes incluem materiais de impressão, áudio e visual.

N

NCSSFL 
Conselho Nacional de Supervisores Estaduais de Línguas (EUA)

Negociação de significado é um processo em que os professores e os alunos tentam transmitir informações uns aos outros e alcançar a compreensão mútua através do restabelecimento, esclarecimento e confirmação de informações. O professor pode ajudar os alunos a começar ou a ultrapassar um obstáculo usando abordagens linguísticas e outras.

Nível de desempenho descreve os resultados/produções na língua-alvo dos alunos em programas de línguas. Estes níveis resultam de descrições feitas pelo ACTFL e também das informações indicadas nas "afirmações do que o aluno deve poder fazer" concebidas pelos NCSSFL-ACTFL (e que derivam das Diretrizes de Proficiência do ACTFL de  2012). Estas descrições indicam o que o aluno consegue ou deve conseguir fazer na língua-alvo. Os níveis de desempenho incluem novato, intermediário e avançado. Os alunos novatos operam principalmente com material aprendido e praticado. Os alunos intermediários usam a língua-alvo para se expressar em tópicos que lhes são familiares. Operando principalmente ao nível da frase, começam a expandir e a juntar frases ao construir habilidades narrativas. Os alunos avançados são capazes de sustentar uma narração e descrição no passado, presente e futuro e numa variedade de tópicos. Veja também nível de proficiência.

Nível de performance ver Nível de desempenho

Nível de proficiencia descreve o quão bem uma pessoa funciona numa língua. O ACTFL, além disso, define proficiência com um conjunto de diretrizes para avaliar habilidades comunicativas. As diretrizes cobrem o desempenho de um indivíduo em três critérios: função, conteúdo/contexto e precisão. Quando combinados, esses critérios determinam a capacidade comunicativa do aluno novato, intermediário, avançado ou superior. Veja também nível de desempenho.

O


P
Pergunta de demonstracão é um tipo de pergunta onde o questionador já conhece a resposta. As perguntas de demonstração são usadas no ensino de língua para elicitar a prática da língua. Elas contrastam com as perguntas usadas com a técnica de Lacuna de informação em que as perguntas são referenciais, ou seja, questões para as quais a resposta ainda não é conhecida.

Período crítico é uma teoria que afirma que os primeiros anos de vida constituem um período durante o qual a língua se desenvolve rapidamente e após o qual (em algum momento entre os 5 anos e a puberdade) a aquisição de língua passa a ser muito mais difícil e, em última análise, menos bem sucedida. 

Planeamento invertido, também chamado de Design invertido, significa que o professor planea uma unidade ou lição identificando primeiro a tarefa final ou produto desejado e, em seguida, trabalhando em reverso para identificar as tarefas de aprendizado prévias e as avaliações intermédias.

Programa de imersão é um modelo modelo, mais comum nas escolas primárias, em que o conteúdo académico (o objetivo educacional primário) é ministrado na língua-alvo, e a proficiência linguística é um resultado paralelo. As escolas planeam os seus programas de modo a que a l'ingua-alvo seja introduzida num determinado nível de escolaridade, com uma porcentagem de tempo cada vez maior dada à instrução da língua-alvo. Os programas de imersão parcial diferem na quantidade de tempo e número de cursos ensinados na lingua materna e na língua-alvo.

Primeira Língua veja Língua Materna.

Q


R

Realia são materiais altamente visuais, contextualizados e culturalmente autênticos. A Realia pode incluir cartazes, propagandas, rótulos, horários, ingressos e muito mais. Veja também Documentos reais.

Resposta Física Total (RFT) foi desenvolvido por Asher, Kusudo e de la Torre (1974). A RFT é uma abordagem para o ensino de vocabulário que apela ao sistema cinestésico-sensorial dos alunos. Primeiro, o professor introduz novas palavras de vocabulário e estabelece o seu significado através de ações e gestos correspondentes. Os alunos imitam as ações do professor enquanto aprendem as palavras e, eventualmente, demonstram a compreensão através das ações e dos gestos. Em última análise, o idioma é estendido para formas escritas, e os alunos começam a responder verbalmente. A evidência da pesquisa atesta a eficácia da RFT para aprender e reter vocabulário. Veja também Contagem de histórias de resposta física total (CHRFT).
Asher, J., J. Kusudo, and R. de la Torre. "Learning a Second Language Through Commands: The Second Field Test." Modern Language Journal58 (1974): 24-32.

S


T

Translinguismo é uma abordagem teórica à educação bilíngue e/ou multilingue. Baseia-se no pressuposto de que o sistema cognitivo humano tem um único sistema linguístico autónomo, portanto, o aprendizado de outra língua é assistido pelo selecionar e desdobrar de características encontradas em um repertório linguístico único. Isto significa que os alunos que falam mais de uma língua recorrem a todas elas para fazer sentido e negociar contextos comunicativos particulares na língua-alvo que estão a aprender. Isto significa que o ensino de uma língua estrangeira também desenvolve as habilidades na língua materna, e vice-versa, uma vez que ambas são objeto da instrução bilíngue, ou seja, a língua materna e a língua-alvo não são compartimentos separados em uma relação hierárquica, mas uma continuação horizontal do repertório linguístico dos alunos. Como prática pedagógica, o translinguismo aproveita a fluidez do sistema linguístico único dos alunos de forma a aprofundar o seu engajamento e compreensão de conteúdos e textos complexos.

U

Unidades temáticas são projetadas usando o conteúdo como princípio organizador. O vocabulário, as estruturas e as informações culturais são incluídos, e se relacionam com os temas de cada unidade.

V


W


X


Y


Z